Mobilidade Urbana é tema da 4ª Semana dos Transportes da Ufba

Com população de aproximadamente 3,9 milhões de pessoas e cerca de 1 milhão de veículos emplacados na cidade, Salvador sofre com a falta de planejamento histórico em mobilidade urbana. Segundo dados de pesquisa realizada pelo Governo do Estado em 2012, o tempo médio gasto pela população nos seus deslocamentos casa / trabalho ultrapassa 61 minutos. Para discutir esses e outros temas referentes a mobilidade urbana em Salvador e cidades da região metropolitana, a Faculdade de Transportes Terrestres da Universidade Federal da Bahia reuniu representantes do Governo do Estado, prefeitura, empresários, ANTT e acadêmicos na 4° Semana da Engenharia dos Transportes. O evento contou com o apoio do Crea-BA.

O encontro foi aberto com uma palestra do presidente da Companhia de Transportes do estado da Bahia (CTB) José Eduardo Copello. Em 30 minutos, ele discorreu sobre os problemas encontrados e soluções que o estado têm, dado aos desafios encontrados.

Para Copello, a mobilidade urbana deve avançar a frente do que cresce a demanda por infraestrutura: “O Produto Interno Bruto brasileiro perde aproximadamente R$90 bilhões, por que o tempo que é perdido no trânsito não é aproveitado em outras atividades que ajudam a movimentar a economia”, relatou.

Pesquisa realizada pela Firjan em nove regiões metropolitanas do Brasil revela que os brasileiros perdem em média aproximadamente 82 minutos em deslocamentos. Investimentos em mobilidade urbana são necessários para se reverter esta situação.

O encontro foi marcado ainda por uma mesa redonda, aberta pelo coordenador da Secretaria de Mobilidade Urbana de Salvador (SEMOB) Raimundo Nonato. Para ele, a capital baiana tem vocação para intermodalidades de transporte: “O desenho da cidade colabora para implantação de novos equipamentos que melhorariam a mobilidade entre áreas populosas, como é o caso dos teleféricos e ascensores”, destacou, convocando a população a participar da elaboração do Plano de Mobilidade de Salvador, que será discutido brevemente.

foto 2

A Associação das Empresas de Transportes de Salvador (Integra) foi representada por Rita Lemos. Ela destacou que a associação tem atuado em conjunto com a prefeitura nos estudos de reavaliação dos roteiros praticados. Com a consolidação da integração ônibus e metrô, surge um novo desafio as empresas: “Temos de qualificar o sistema por ônibus para equipará-lo com as outras modalidades que estão sendo implantadas”, relatou.

O professor da instituição arquiteto Juan Pedro afirmou que falta de conexão entre os trabalhos realizados pelo governo e prefeitura. Para ele, falta uma secretaria técnica tratando do assunto.

Encerrou a mesa o representante da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) André Luís Oliveira de Melo, que destacou a importância do planejamento em transporte para se fazer avançar o país e citou exemplos de sucesso praticados na China.

O evento se estende até sexta-feira (26), no auditório Leopoldo Amaral da Escola Politécnica da Ufba, com uma palestra sobre atuação do tecnólogo em transporte terrestre na Regulação, Planejamento e Gestão do Setor de Transportes e uma nova mesa de debates com representantes da Agerba, Transalvador e ANTT.

REPRODUÇÃO DE NOTÍCIA.

CRÉDITOS AO GÊNESIS FREITAS E AO CREA-BA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *