Análise TED: “Corte Rápido” das Linhas de Salvador

Fala povos, beleza?

Sabe o “Bilhete Único”? Aquele que você pode usar e pegar 2 ônibus dentro de 2 horas pagando apenas uma passagem? Bom né? Realmente é… só que… dona Transalvador tá usando isso como desculpa principal pra implantar o que eu denomino de “PROJETO CORTE RÁPIDO FACA TRAMONTINA“.


No que consiste este projeto? Simples. Pegar linhas que tinham uma frequência ridiculamente baixa (de 45 min pra cima) e… cortar elas. Cabô. Fecha conta e passa a régua. A resposta padrão sabe qual é?

“(…) devido a reestruturação das linhas de ônibus do transporte público não será possível colocar mais veículos para atender esse Bairro. No entanto, para agilizar e facilitar o acesso ao transporte público, a população pode utilizar o Cittamobi, aplicativo que informa a previsão de chegada dos ônibus nos pontos e qualquer pessoa pode fazer o download gratuito em aparelhos IOS ou Android, e também pode usufruir do recurso do Bilhete Único, no qual o usuário tem a opção de fazer a integração de dois coletivos, no período de 2h, e pagar apenas pelo primeiro. ”

Justo. Em alguns casos, até que funcionaria…CASO AS OPÇÕES DE INTEGRAÇÃO FOSSEM FREQUENTES. O que NÃO SÃO. Em teoria: O corte é feito para reduzir a gordura de linhas com baixa demanda. Na prática: O passageiro fica sem opção da linha, com menos frequência e se vê obrigado muitas vezes a recorrer a outra linha com superlotação e frequência mediana. E PIOR: MUITA gente em Salvador não conhece boa parte das linhas de ônibus FORA de seus bairros de origem. Há muita falta de informação devido à natureza dos roteiros malucos das linhas de ônibus.

Claro que, entendo que o “serviço tem que melhorar”…, mas, dessa forma? Os cortes estão sendo feitos com base APENAS na origem/destino das linhas, ou no trajeto? E outra coisa… as linhas que estão sendo cortadas por baixa demanda… será que o problema da baixa demanda NÃO É JUSTAMENTE A FALTA DE FREQUÊNCIA? Como se vai ter uma demanda na linha SE ELA LEVA MAIS DE 50 MINUTOS DE ESPERA? Então… temos aí algumas perguntas sem resposta que acabam mais atrapalhando do que ajudando o passageiro que depende do sistema de transporte da cidade.

O CICLO VICIOSO DO TRANSPORTE RUIM

Já fiz várias postagens aqui falando sobre a estrutura das linhas da cidade. Resumidamente: Linhas de frequência alta (10-15 min) saem de bairros bastante populosos. Essas linhas fazem a volta no planeta e nas galáxias mais próximas pois arrastam consigo a demanda de TODO O CONJUNTO/DISTRITO/REGIÃO nas costas e tem uma lotação absurda por conta disso. Essas são as linhas “indicadas” para realizar “Integração via Bilhete Único”.

MAS, se você mora num conjunto que fica anexo a este bairro populoso… você pode até ter algumas linhas passando…mas, e a frequência? 40 min… 50… 1 hora… 1h e 30 min.… e por aí vai. “Ah, mas a pessoa poderia usar a bilhetagem para não ficar esperando”. COMO? SE A LINHA PRINCIPAL QUE SAI DO “BAIRRO ANEXO” ONDE ELA MORA DEMORA 45 MIN PARA PASSAR?

O que acontece no fim das contas? Quem mora no bairro populoso xyz, tem um excelente atendimento em… frequência…, mas o ROTEIRO que as linhas fazem até chegar ao destino é gigantesco. Quem mora nos bairros “anexos” acabam ficando dependentes de linhas que muitas vezes tem um roteiro alternativo interessante (mais rápido), mas aí possuem um tempo de espera gigantesco. E com esses cortes todos, a situação piora a cada dia que passa e não tem bilhetagem que resolva se as opções não forem práticas para o passageiro.

Vamos trazer algumas evidências de como o serviço está piorando pela falta de frequência das linhas, especialmente aos domingos (Todos esses quadros horários foram retirados do site da Transalvador):


Apenas pra ilustrar… 6 linhas. Frequência TEÓRICA de 1 hora ou mais aos domingos. A justificativa? Demanda baixa. Será mesmo? Com o projeto Domingo é Meia a demanda baixou? Ou será que a demanda é baixa por que NÃO TEM ÔNIBUS NA RUA?

E assim, mesmo que exista a “desculpa” do bilhete único… COMO se vai pegar 2 ônibus se a frequência das linhas alimentadoras TAMBÉM é baixa?

Observem esse outro quadro:


Mesma coisa. De 40 à 1 hora de espera. Vai integrar como? Lembra daquele exemplo que citei dos bairros “anexos”?

LUIS ANSELMO E O PÉSSIMO ATENDIMENTO

O bairro de Luis Anselmo fica na ponta extrema de Matatu, e possui ligações viárias com a Rótula do Abacaxi e Bonocô. No caso, ele é meio que um “anexo” do grande conjunto de Brotas (já que as linhas principais da região são do eixo de Brotas). As 4 linhas abaixo fazem o atendimento do bairro:


Este quadro horário é EM DIAS ÚTEIS. COMO se faz integração assim? A 0517, que é uma linha troncal, a 3 anos atrás passava de 15-20 min. Hoje passa TEORICAMENTE de 35 em 35. O que aconteceu? População de Luis Anselmo evacuou? Não. O serviço piorou. Como resolver esse problema se não há frequência? Detalhe: A 1136 DEIXOU de operar aos Domingos. E quem ficou no lugar? NADA. Concordo que precisa existir uma readequação das linhas – e já falei sobre esse assunto várias vezes aqui, mas… PASSAR A FACA NAS LINHAS E SIMPLESMENTE DIZER PRA USAR O BILHETE ÚNICO, NÃO RESOLVE PROBLEMA NENHUM.

Pra terminar, fiquem com este quadro das linhas cortadas até hoje:

Por hoje é só pessoal. O que acham desse assunto? Algo a sugerir? Complementar? Comente e participe!

Eduardo Lima

Eduardo Lima

Idealizador do Portal Transporte em Debate-Bahia, meio doido, fanático por Transporte Urbano, e estudante nas horas vagas...

More Posts - Website - Facebook

Eduardo Lima

Eduardo Lima

Idealizador do Portal Transporte em Debate-Bahia, meio doido, fanático por Transporte Urbano, e estudante nas horas vagas...

Um comentário em “Análise TED: “Corte Rápido” das Linhas de Salvador

  • 18 de outubro de 2016 em 10:02
    Permalink

    Excelente análise. Deveria ser levada pessoalmente as autoridades competentes.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *